NÚCLEO DE CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO

Localizado na Casa Bernardo Guimarães, Bairro Cabeças, em Ouro Preto, o Núcleo de Conservação e Restauração da Fundação de Arte de Ouro Preto | FAOP tem como missão formar e capacitar profissionais com uma postura crítica e ética na área de conservação e restauro dos bens culturais.

O Núcleo oferece o Curso Técnico em Conservação e Restauro, responsável por capacitar profissionais para analisar, diagnosticar e intervir adequadamente em acervos de papel, escultura policromada e pintura de cavalete. O Curso também tem significativa importância na preservação de acervos comunitários, uma vez que recebe peças como material didático com custos mínimos para as comunidades guardiãs. A equipe técnica realiza consultoria, diagnósticos e projetos de conservação e restauração dos bens móveis e integrados; e ainda promove ações de educação patrimonial junto às comunidades atendidas.

 


CURSO TÉCNICO EM CONSERVAÇÃO E RESTAURO

O Curso Técnico em Conservação e Restauro da FAOP teve início com o restaurador Jair Afonso Inácio na década de 1970, sendo a primeira experiência na formação de profissionais de forma regular no Brasil. Em 1981, foi dividido em disciplinas com ênfase na conservação e restauro de escultura policromada, pintura de cavalete e papel. O Curso é nacionalmente reconhecido pelo Ministério da Educação | MEC e aprovado, desde 2002, pelo Conselho Estadual de Educação de Minas Gerais | CEE.

Distribuído em cinco módulos semestrais, com carga horária de 1.686h e 40min, incluindo o estágio curricular, o processo de ensino-aprendizagem do Curso é conduzido de modo a aliar a fundamentação conceitual à vivência prática. O aluno pratica inicialmente simulações do processo de restauro e, posteriormente, atua com acervos reais comunitários; e todo o processo é orientado pelos professores que contam com a parceria da equipe técnica e pedagógica do Núcleo de Conservação e Restauração.

As atividades de restauração dos acervos comunitários integram o estágio curricular que está inserido nas práticas de ateliês. Para concluir o Curso, o aluno realiza estágio nas três áreas de atuação - papel, escultura policromada e pintura de cavalete - que se encerra mediante a entrega dos relatórios finais. Essa estratégia garante aos estudantes uma formação consistente, com segurança para atuação no mercado de trabalho, e, às comunidades guardiãs, o tratamento necessário e adequado aos seus acervos, propiciando longevidade à preservação dos bens.

Destinado àqueles que já concluíram ou estão cursando o ensino médio a partir do 2º ano, o ingresso do Curso Técnico em Conservação e Restauro é feito por meio de processo seletivo.

 

COMISSÃO DE ACERVOS

Para analisar e discutir as propostas e as intervenções executadas nas obras trabalhados, foi criada a comissão de acervos que realiza reuniões mensais. A dinâmica possibilita o diálogo e a participação de toda a equipe nas tomadas de decisão, fortalecendo e unificando os critérios de conservação e restauro aplicados. A ação concretiza a interdisciplinaridade da profissão e valoriza os diversos repertórios profissionais; promove as trocas de conhecimento fundamentais em um ambiente escolar que preza pelo diálogo; e compartilha responsabilidades e vivências.


OFICINAS DE FORMAÇÃO COMPLEMENTAR

As oficinas de formação complementar têm como objetivo ampliar a formação do aluno, possibilitando o contato com teorias e práticas que fortalecem o desenvolvimento profissional e não são diretamente abarcadas na matriz curricular do Curso.


Coordenação: Ana Paula Mendes 

coordenacaorestauracao@faop.mg.gov.br | (31) 3551-2014

Rua Irmãos Kennedy, 601, Cabeças, Ouro Preto-MG


Matriz curricular do Curso Técnico em Conservação e Restauro



ESCOLA DE ARTE RODRIGO MELO FRANCO DE ANDRADE

A Escola de Arte Rodrigo Melo Franco de Andrade | EARMFA oferece cursos de formação inicial e continuada, além de um curso técnico. Estruturada em três núcleos: Núcleo de Arte, Núcleo de Conservação e Restauração e Núcleo de Ofícios, mantém sua essência através do respeito à identidade cultural do indivíduo, tendo seus referenciais pautados no cultivo à liberdade de expressão, no fomento à criação, na competência técnica, na responsabilidade, e na seriedade na realização de sua missão. A EARMFA, através de anos, trabalha para o fortalecimento da arte no âmbito da cultura, linguagem e diversidade; e da reflexão contínua sobre as práticas pedagógicas.

A filosofia da EARMFA está pautada na arte como conhecimento, na valorização dos saberes de forma global e inclusiva, e na vivência da cultura e suas práticas educativas que pensam a formação adequada para a inserção social e cultural dos seus educandos, além de promover a qualificação profissional para atuação no campo da arte, do restauro e dos ofícios.

Com a singularidade de pertencer a uma fundação estadual, o projeto educacional da EARMFA tem a arte como elemento fundamental a todas as suas atividades, propondo unir cultura e educação para formação ampla, humanística e inclusiva, visando o indivíduo como um todo e a integração desta Fundação com a comunidade. Seu foco está no desenvolvimento humano, desvendando e incentivando potencialidades individuais e coletivas.

Assim, cada educando pode desenvolver sua autonomia, sua criatividade, se tornar pessoa propositiva, capaz de tomar decisões, resolver situações e se integrar definitivamente no seu espaço de (con)vivência.


Regimento da Escola de Arte Rodrigo Melo Franco de Andrade